Mariana Coelho: a educadora- Feminista

Doação do Consocio e Autor:  Leonardo Soares Madeira Iorio Ribeiro
RIBEIRO,  Leonardo Soares Madeira Iorio.    Mariana Coelho: a educadora-feminista. Rio de Janeiro:  Lumen Juris, 2015.
 
A educadora feminista, embora tenha sofrido influencias de seu tempo, percebeu que i “sexo frágil” não nascia frágil, mas era assim construído pela sociedade, sendo chamada de “Beavoir Tupiniquim” por Zahidé Muzart.   De outra perspectiva, pregou que a mulher poderia contribuir para a sociedade de modo peculiar – o “feminino” – inclusive com o seu amor.  Mariana Coelho chega ao Brasil nos fins do século XIX, passando logo a contribuir para a imprensa de Curitiba, com suas poesias e crônicas, abraçando a causa feminista.