Sexta, 03 Dezembro 2021 17:10

Lins e Silva diz que Fragoso na presidência da FIA será motivo de orgulho para a advocacia brasileira 

Paulo Lins e Silva assiste à palestra de Robert S. Barker na Reunião do Conselho da FIA Paulo Lins e Silva assiste à palestra de Robert S. Barker na Reunião do Conselho da FIA
Representante do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) nas Entidades Internacionais, Paulo Lins e Silva participou virtualmente nesta sexta-feira (3/12) da Reunião do Conselho da Federação Interamericana de Advogados (FIA) e destacou o fato de que o atual vice-presidente da entidade, Fernando Fragoso, será o próximo presidente: “Em 2022, a presidência da FIA será assumida pelo amigo Fernando Fragoso, ex-presidente do IAB, entidade jurídica mais antiga das Américas”. Paulo Lins e Silva, que presidiu a FIA nos anos de 1998 e 1999, acrescentou: “A sua presença à frente da FIA será motivo de alegria e orgulho para a advocacia brasileira”.  
Ao ser eleito vice-presidente, por unanimidade, no dia 20 de agosto deste ano, durante a 57ª Conferência Anual da FIA, Fernando Fragoso disse: “Serei o presidente da FIA nas próximas eleições presidenciais do Brasil, em 2022, e espero que o País, que hoje vive crises inventadas diariamente, consiga manter até lá a normalidade democrática necessária para a realização do pleito”. Tradicionalmente, o vice-presidente eleito é escolhido para presidir a entidade no ano seguinte.  

 

Na reunião desta sexta-feira, Paulo Lins e Silva também elogiou a gestão do atual presidente da FIA, Judd Kessler: “A sua atuação à frente de uma das mais importantes instituições internacionais da advocacia tem sido marcante, por ter empunhado o bastão em defesa de todos os advogados do continente e dos países caribenhos, e fortalecido significativamente a instituição”. O encontro da FIA, que teve como tema central O papel dos advogados e os objetivos do desenvolvimento sustentável, foi aberto na quinta-feira (2/12) com palestras sobre Interpretação constitucional, realidade e sustentabilidade feitas pelo americano Robert S. Barker e pelo chileno Fernando Saenger Gianoni.

Nos dois dias de palestras e debates, foram analisados diversos temas, tais como Acesso à justiça e gestão de serviços judiciais, Arbitragem internacional e sustentabilidade, De Paris a Glasgow: o papel dos advogados na conquista dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), Advogados por um futuro sustentável: adaptando a prática jurídica para os ODS; Emprego, trabalho decente e erradicação de trabalho forçado e Anticorrupção, conformidade e desenvolvimento sustentável: o custo oculto da corrupção.