Sexta, 01 Fevereiro 2019 20:53

Kátia Tavares representa o IAB em homenagem à memória de João Luiz Duboc Pinaud

A diretora adjunta Katia Rubinstein Tavares representou o Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) na homenagem prestada pela Casa da América Latina à memória do seu ex-presidente João Luiz Duboc Pinaud, que também presidiu o IAB (1998/2000) e morreu em abril de 2018, aos 87 anos. Criada para promover encontros culturais, políticos e sociais entre os países da região, da Casa da América Latina celebrou a figura do jurista em evento realizado nesta quinta-feira (31/1), quando ele completaria 88 anos, na sede do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio de Janeiro (Senge-RJ). Também compareceram à homenagem a historiadora Kátia da Matta Pinheiro, viúva de Pinaud, e o presidente da Comissão de Direito Constitucional do IAB, Sérgio Sant’Anna.
“Acompanhei por 28 anos a sua vida e as suas lutas. Foi um combatente de todas as batalhas pela dignidade e contra a opressão”, afirmou Kátia da Matta Pinheiro. No dia 11 de dezembro último, ela compareceu ao encerramento do evento sobre Os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, realizado no plenário do IAB, para receber a Medalha Luiz Gama, com a qual o jurista foi agraciado. A comenda se destina aos que lutam pelo estado democrático de direito.

Nascido na cidade de Niterói (RJ) no dia 31 de janeiro de 1931, o jurista ingressou no IAB no dia 17 de novembro de 1987, vindo a presidir a Comissão de Direitos Humanos da entidade, antes de assumir a Presidência do Instituto. Pinaud foi presidente, também, da Comissão Especial de Mortos e Desaparecidos Políticos da Presidência da República (2004).

Antes, havia ocupado, em 2003, o cargo de secretário de Estado de Direitos Humanos do Rio de Janeiro. Em 2005, foi escolhido representante de Direitos Humanos da América do Sul para participar da Missão de Solidariedade ao Povo do Haiti. Em 2008, o Grupo Tortura Nunca Mais o agraciou com a Medalha Chico Mendes de Resistência.

João Luiz Duboc Pinaud é autor de vários livros, dentre os quais Tempo de família; Malvados mortos; Insurreição negra e justiça; Direitos humanos: conquistas e desafios; Haiti, das trevas à luz, e Longas noites sem direitos humanos.