Quinta, 14 Novembro 2019 15:52

Comissão de Igualdade Racial ganha mais dois integrantes no mês da consciência negra

Da esq. para a dir., Adriana Brasil Guimarães, Edmée da Conceição Ribeiro Cardoso, Carlos Alves Moura, Sergio Tostes, Antonio Laért Vieira Junior e Humberto Adami Da esq. para a dir., Adriana Brasil Guimarães, Edmée da Conceição Ribeiro Cardoso, Carlos Alves Moura, Sergio Tostes, Antonio Laért Vieira Junior e Humberto Adami
Os advogados Carlos Alves Moura e Edmée da Conceição Ribeiro Cardoso tomaram posse como membros efetivos do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), na sessão ordinária desta quarta-feira (13/11), e atuarão na Comissão de Igualdade Racial, presidida por Humberto Adami, que os indicou ao IAB. “Trazer dois grandes representantes do movimento negro para a Casa de Montezuma, especialmente no mês da consciência negra, é um momento de enorme alegria”, disse Humberto Adami. Estavam presentes no plenário os ex-ministros da Igualdade Racial Eloi Ferreira Araújo e Edson Santos. Na sessão, também tomou posse o advogado Alexandre Rodrigues Atheniense, indicado ao Instituto pela presidente nacional, Rita Cortez, e pela diretora de Patrimônio Imobiliário, Marcia Dinis.
“Com grande emoção, subo nesta histórica tribuna pela qual passaram notáveis juristas”, afirmou Edmée da Conceição Ribeiro Cardoso. A advogada, que se aposentou quando trabalhava como assessora jurídica da Secretaria municipal de Saúde do Rio de Janeiro, disse ainda: “Sempre desempenhei a advocacia pautada no aprimoramento da Justiça e na luta pela defesa dos direitos, pois o Brasil tem uma dívida a ser saldada com a democracia que passa pelo racismo”.

Secretário-executivo da Comissão Brasileira Justiça e Paz (CBJP), que faz parte da Conferência Nacional dos Bispos no Brasil (CNBB), Carlos Alves Moura, após tomar posse como membro do IAB, afirmou: “Honra-me ser recebido nesta Casa quase bicentenária, responsável pela construção da ordem jurídica do País”. O ex-presidente da Fundação Cultural Palmares e ex-assessor para os assuntos da cultura afro-brasileira no Ministério da Cultura, falou sobre o dever da advocacia: “Temos que honrar a Constituição, que está sendo testada, ao que parece, com o propósito de diminuir a proteção aos direitos humanos”.

Ao saudar Alexandre Rodrigues Atheniense, Marcia Dinis disse que “ele talvez seja a maior autoridade do País no campo do Direito Digital, pois estuda o assunto desde a década de 1990, quando o tema ainda era tratado como Direito da Informática”. A advogada destacou, também,  o fato de o novo consócio ser filho de Aristóteles Atheniense, membro do Conselho Superior do IAB, diretor executivo e representante institucional em Minas Gerais, que compareceu à sessão.

Na sua manifestação, Alexandre Aheniense, que fará parte da Comissão de Direito Digital, afirmou: “Entrar para o IAB é galgar um degrau a mais de satisfação na minha carreira, especialmente neste momento em que a advocacia tem a missão de lidar com as mudanças impostas pela Lei Geral de Proteção de Dados”.
 
Da esq. para a dir., Adriana Brasil Guimarães, Aristóteles Atheniense, Marcia Dinis, Sergio Tostes, Alexandre Aheniense, Rita Cortez e Antonio Laért Vieira Junior